Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nem sabia o quão difícil era uma remodelação até remodelar a cozinha e a casa de banho da minha casa. Mais tarde remodelei todo o apartamento! Quero partilhar consigo dicas, como poupar, onde comprar e muito mais.

Nem sabia o quão difícil era uma remodelação até remodelar a cozinha e a casa de banho da minha casa. Mais tarde remodelei todo o apartamento! Quero partilhar consigo dicas, como poupar, onde comprar e muito mais.

Porque fazer controlo de pragas na remodelação de uma casa

E quando a remodelação da nossa casa fica em causa só porque não fazemos o controlo de pragas atempadamente? 

 

Nada pior do que investir na remodelação de uma casa e ver tudo a desabar com um ataque de térmitas ou uma infestação de bolor. 

 

Quando digo tudo, é mesmo tudo: com as paredes e tetos a cair de podre, o sonho de uma casa bonita e a garantia de um ambiente limpo e seguro para a família. Já para não falar do orçamento que vai à vida!  

 

Em situações como esta, só há uma coisa a fazer: é preciso procurar soluções que resolvam o problema – e que previnam futuras ocorrências de infestações e pragas na casa. 

 

E como fazemos isso? É simples. Chamamos quem percebe do assunto! 

 

profissional de controle de pragas e infestações

 

 1º Antes de dar início às obras, verificamos se há problemas de infestações na casa. 

 

Conhecemos casos de pessoas que tiveram de contrair novos empréstimos só porque não tiveram esse cuidado. Convém chamar um especialista em controlo de pragas para uma inspeção detalhada. Ele vai vistoriar o local e dar um orçamento se for necessário tratar o problema.  

 

As estruturas em madeira são especialmente suscetíveis a serem destruídas por térmitas. Mas um ninho de ratos ou uma infestação de insetos também são problemas graves, que podem custar dinheiro, muito dinheiro. 

 

 2º Pedimos o acompanhamento do técnico de desinfestação durante as obras. 

 

Nem sempre é possível exterminar os insetos ou roedores logo na primeira intervenção. É preciso ter a certeza de que não ficam a hibernar nem que deixam descendência dentro das paredes, tetos ou frinchas.  

 

Isso é feito com o apoio de um técnico especializado em controlo de pestes. Ele poderá visitar as instalações da obra mais do que uma vez, para garantir uma intervenção mais eficaz. Assim, é possível poupar tempo, dinheiro e materiais de construção no futuro. 

 

3º Temos cuidado com a saúde, sempre. 

 

Se pensarmos nos potenciais perigos para a saúde que o controlo de pestes é capaz de evitar, nem hesitamos em chamar um especialista. 

 

Alergias, hepatite A, febre tifoide, tuberculose, salmonelas, pneumonia, conjuntivite são apenas algumas das doenças que os insetos podem transmitir ao ser humano.

 

Já os ratos podem provocar não só salmonela como infeções como a leptospirose, manifestada por sintomas como febre, dores musculares ou abdominais, vómitos, olhos vermelhos, etc. 

 

Tanto insetos como roedores transportam sujidade, bactérias e vírus, que transmitem doenças às pessoas. Doenças essas que podem ser ainda mais perigosas para crianças, idosos e mesmo animais de estimação (e que consideramos como membros da família). 

 

O nosso conselho: proteja a sua casa mesmo antes de ir para lá morar. Evite qualquer infestação com o controlo de pragas profissional, logo na fase de obras de remodelação.  

  

4º Fazer desinfestação dos espaços regularmente. 

 

Um técnico especializado poderá aconselhar melhor sobre quando e onde é necessário vigiar o reaparecimento da bicharada. Depois da primeira intervenção, o controlo de pragas depende da espécie, do clima, do local, dos materiais utilizados e de outros fatores.  

 

 

Veja também:  

 

Tem problemas com paredes com bolor e tinta a descascar? Saiba como reparar paredes estragadas e bolorentas. 

 

E quando aparecem manchas amarelas no teto? Temos dicas para resolver o problema. 

 

 

Em conclusão 

 

Térmitas, baratas, ratos, pombos, aranhas, vespas, formigas… Por muito que gostemos da natureza, escusamos de ter “vizinhos” destes a partilhar o nosso espaço e a nossa comida! Por isso é que aproveitámos a remodelação da nossa casa para fazer um controlo de pragas eficaz e profissional.  

 

Reforçando a ideia: não se trata apenas de lançar inseticida e tapar buracos e fendas. É preciso um tratamento especializado para que os bichos não voltem a aparecer. E para garantir a segurança e saúde da nossa família. 

 

Como pendurar objetos em pladur e quanto peso aguenta uma parede de pladur?

Numa recente experiência cá em casa, tentei pendurar um espelho (pesado) numa parede de pladur e a coisa não me correu muito bem.

Tentei usar uns pregos simples que tinha cá em casa (penso que eram umas tachas mais longas para madeira) e não correu nada bem...

Por isso, decidi fazer mais um artigo 

 

Então, como pendurar objetos em pladur?

 

Para pendurar objetos em paredes de pladur, vai ser necessário utilizar pregos ou parafusos específicos para gesso.

Isto é mesmo importante porque, ao contrário dos pregos comuns, os pregos para gesso tem uma cabeça larga que ajuda a distribuir a pressão e evitam que o gesso se rompa.

Além disso, é recomendável usar parafusos com anilhas de expansão, porque têm uma melhor capacidade de suportar peso.

Antes de pendurar qualquer objeto, é importante verificar a localização das vigas e das tubagens / fios de eletricidade atrás do gesso para evitar que o prego ou parafuso passe em áreas onde pode causar danos.

 

Quanto peso aguenta uma parede de pladur

Quanto ao peso que uma parede de pladur pode suportar, isso pode variar dependendo do tipo de gesso utilizado, da espessura da camada de gesso e da estrutura da parede.

Em geral, uma parede de gesso pode suportar cerca de 5 kg por prego ou parafuso.

No entanto, é importante consultar os dados do material (se disponível) ou então um profissional qualificado antes de pendurar objetos muito pesados na parede.

 

 

Chão flutuante laminado - Vantagens e Desvantagens que descobri!

Tenho uma casa onde o chão, com exceção da cozinha, é coberto de chão / piso flutuante laminado tipo carvalho.

Gosto muito do aspecto geral, mas tenho notado em várias áreas da casa, principalmente em zonas de passagem, algumas folgas e num dos casos até mesmo uma junção de esquina que partiu.

Por isso, decidi fazer um artigo sobre as vantagens e desvantagens sobre o chão flutuante laminado. Primeiro as bases: o que é?

 

O que é o chão flutuante laminado?

O chão flutuante laminado é um tipo de piso composto por painéis de madeira laminada que são encaixáveis entre si e que não necessita da aplicação de colas, pregos ou parafusos para se manter no seu lugar. 

Como estes painéis não se fixam diretamente ao piso ou a qualquer estrutura da casa, são "flutuantes" (daí vem o nome ) sobre o chão existente e por norma devem instalar-se sobre uma camada primária de material com propriedades de isolação acústica e térmica.

Desde o seu início sempre foi usado muito em chão, mas a verdade é que se torna cada vez mais comum a sua aplicação em paredes estruturais e também em paredes separatórias feitas com placas de pladur.

 

Principais vantagens que vejo no chão flutuante laminado

Uma das principais vantagens do chão flutuante laminado é que é bastante fácil de se instalar. Só é necessário uma superfície lisa e isolada.

Por isso, é muito usado em pisos de cimento ou outros materiais similares, porque não requer furação ou instação de suporte para ser fixado.

Além disso, existem diferentes designs, cores e materiais em que o chão flutuante pode ser feito o que praticamente permite o seu uso em qualquer tipo de espaço, como halls de passagem, salas, quartos e até casas de banho e cozinhas (mas no caso da cozinha, eu pessoalmente prefiro tijoleira).

Também é muito fácil de fazer a limpeza de chão flutuante, bastando alguns cuidados básicos.

No entanto, nada é perfeito certo?

 

Algumas desvantagens do chão flutuante laminado

O chão flutuante laminado pode ser um pouco mais caro do que outros tipos de pisos, especialmente carpetes e vinílicos.

Geralmente também é mais propenso a riscos e outros danos, especialmente quando não é bem instalado. 

Outro problema podem ser as folgas que se desenvolvem com o tempo, especialmente se o laminado é composto de madeira, porque a humidade do inverno faz expandir a madeira e o verão seca-a, o que causa flutuações nos encaixes e por vezes fica aquela sensação de o chão estar meio "solto"...

Outro ponto a considerar, é que o chão flutuante pode ser mais barulhento do que outros tipos de pisos, especialmente quando não temos o cuidado de instalar primeiro um material de absorção e isolamento acústico.

Pela minha experiência, este ponto é mesmo importante em especial se mora num apartamento, se tem vizinhos por baixo de si e se tem o hábito de andar calçado em casa.

 

Imagens de diferentes padrões, designs e cores de chão flutuante laminado

 

 

Achei este vídeo delicioso como exemplo do que não fazer ao instalar chão flutuante. Tem uns anos mas é topO título do vídeo diz tudo: "trabalho vergonhoso - pavimento flutuante"

 

 

Em resumo:

As principais vantagens do chão flutuante laminado são a sua facilidade de instalação e a sua versatilidade, e as principais desvantagens são o possível custo mais alto e a maior propensão a danos.

 

Avalie com cuidado as suas necessidades e preferencias antes de tomar uma decisão sobre o tipo de piso que vai  escolher para a sua habitação!

 

E no meu caso?

No meu caso, vou começar a trocar o chão flutuante laminado por pavimento cerâmico. A minha casa é bem isolada e tem ar-condicionado por isso, apesar de o pavimento cerâmico ser um pouco mais frio acho que é a melhor opção para mim.

 

Créditos:

https://www.vivadecora.com.br/

https://www.youtube.com/@sempremobras